TENSÃO PRÉ-MENSTRUAL (TPM)

MITOS E VERDADES SOBRE O HPV
15 de maio de 2017
HISTEROSCOPIA CIRÚRGICA:
15 de maio de 2017

Todos os meses 20% a 40% das mulheres sofrem da Síndrome da Tensão Pré-Menstrual (TPM). Destas, 3% a 5% apresentam queixas muito intensas e são os casos mais graves. São inúmeros os sintomas físicos, emocionais e comportamentais envolvidos.

O desconhecimento das causas da TPM se reflete no grande número de tratamentos propostos. Muitos, inclusive, sem grande resultados. Antes de se falar no uso de medicamentos, algumas medidas devem ser consideradas: a prática de atividade física através de exercícios aeróbicos eleva os níveis de endorfinas, conferindo sensação de bem-estar e melhora do humor. Cuidados na dieta, especialmente nos quinze dias que antecedem a menstruação, também são importantes. Ela deve ser equilibrada, rica em proteínas, fibras, carboidratos e pobre em gorduras saturadas. Bebidas como café, chá e à base de cola devem ser evitados, por serem estimulantes. Álcool e outras drogas podem também ser prejudiciais. Especialmente nos casos mais severos, torna-se necessário o uso de medicamentos. Para aquelas que precisam de um método contraceptivo, existem algumas boas alternativas: pílulas de uso contínuo (sem pausa), bloqueando a menstruação, pílulas combinadas de estrogênio e a drospirenona-uma progesterona de última geração (fórmula esta aprovada oficialmente para o tratamento da TPM). O uso do implante subcutâneo de etonogestrel é uma excelente alternativa para combater alguns sintomas desta síndrome.

Várias drogas antidepressivas são eficazes para aquelas com importantes sintomas emocionais, tais como irritabilidade e depressão. Podem ser tomadas durante todo o mês ou somente nos quinze dias que antecedem a menstruação.

1 Comentário

  1. Nossa! Quanta informação de qualidade nesse site. Parabéns e sucesso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat